• Danilo Quipapá
    Danilo Quipapá Central (PE)
  • Diego Silva
    Diego Silva Nacional (Portugal)
  • Kieza
    Kieza Botafogo (RJ)
  • Feliphe Gabriel
    Feliphe Gabriel Cianorte (PR)
  • Moacir
    Moacir Vila Nova (GO)
  • Willian
    Willian Salgueiro (PE)
  • Ciro
    Ciro
  • Natan
    Natan Tombense (MG)
  • Flávio Caça-Rato
    Flávio Caça-Rato
  • David Junio
    David Junio Tombense (MG)
  • Cássio Ortega
    Cássio Ortega Tombense (MG)
  • Daniel Gonzaléz‏
    Daniel Gonzaléz Antofagasta (Chile)
  • Ronaldo Henrique
    Ronaldo Henrique Ponte Preta (SP)
  • João Paulo
    João Paulo Salgueiro (PE)
  • Eliomar
    Eliomar

caca remo2

Centenas de torcedores do Remo estiveram na noite desta quarta-feira, dia 7, no Aeroporto Internacional de Belém, para receber o atacante Flávio Caça Rato, a maior contratação do clube na temporada. Ao som de “uh é Caça Rato”, o jogador desembarcou, foi cercado por jornalistas e azulinos, e teve dificuldade para deixar o saguão com destino ao hotel.

Logo na primeira entrevista como jogador do Leão Paraense, o atacante deixou de lado a modéstia e disse estar acostumado com o carinho do torcedor. Ele relembrou algumas recepções calorosas quando ainda atuava com a camisa do Santa Cruz e, claro, falou do objetivo maior do Remo este ano: o título estadual e a vaga na Série D.

caca remo1– Torcida está de parabéns. Já recebi algumas recepções desta forma no Santa Cruz e fico feliz. Espero corresponder isso dentro de campo, com gols e conquistando nosso objetivo, que é o título estadual e a vaga na Série D. Esse calor da torcida só aumenta a responsabilidade do nosso grupo. E o torcedor pode ter certeza que vamos lutar para dar a resposta – disse.

Flávio Caça Rato é mais uma indicação do técnico Zé Teodoro. Ele terá que brigar por uma vaga no time titular com outros quatro jogadores: o velocista Rony, Leandro Cearense, Val Barreto e João Henrique, que está em São Paulo resolvendo questões pessoais.

david junio noticiaA reta final da Série B do Campeonato Brasileiro pode representar o início para o lateral-direito David no Náutico. O jogador, que entrou no fim segundo tempo do clássico contra o Santa Cruz, no último sábado, ainda tem esperanças em fazer sua estreia como titular da equipe. Afinal, Neílson está suspenso por tomar o terceiro cartão amarelo. A chance pode aparecer já no próximo sábado, contra o Luverdense-MT, na Arena Pernambuco.

O que alimenta a esperança de David é o fato do técnico Dado Cavalcanti ter o escolhido para ser acionado durante o clássico, no lugar de próprio Neílson, mesmo com Rafael Cruz, mais experiente e que já foi titular absoluto do time, estando no banco de reservas. Foram apenas nove minutos de jogo. O único período que o garoto, de apenas 20 anos, esteve em campo na competição. Mas foi o suficiente para fazê-lo acreditar numa possibilidade de continuar jogando na equipe.
Pelo elenco profissional, David atuou em apenas três jogos. Todos estes sob o comando do ex-técnico Alexandre Gallo, que utilizou apenas os garotos da base para disputar as primeiras rodadas do Campeonato Pernambucano do ano passado. Depois disso, ele retornou para a base, regressando para o profissional com Dado Cavalcanti. A falta de experiência justifica a timidez na hora de falar. Em frases curtas, o garoto criado nas categorias de base do clube disse porque quer fazer bonito nesta reta final sem muitas pretensões para o Náutico.

- Espero, em 2015, que Dado sempre conte comigo. Quero jogar o Pernambucano e a Copa do Nordeste.

O espelho de David é Douglas Santos, que não há muito tempo estava na mesma situação. Promovido ao elenco profissional do Náutico, em 2012, o atleta, que hoje está no Atlético-MG, mantém contato com o jovem promessa alvirrubra, que se diz parecido - ao menos, fisicamente - com Douglas.

- Dizem que Douglas Santos parece comigo, né? Mas eu sou mais bonitinho (risos). A gente era muito amigo, mas ele não passou muito tempo na base. Eu tenho contato com ele e sempre falo com ele, que vem me dando umas dicas.

Fonte: Globo Esporte

ronaldo noticia

A lesão do volante Rodrigo Mancha, que o tira do jogo do Sport contra o Flamengo, neste domingo, pegou todo mundo de surpresa na Ilha do Retiro. Principalmente o técnico Eduardo Baptista, que não tinha testado nenhuma opção além do atleta. Situação que fez o treinador decidisse não mudar na estrutura e, com isso, Ronaldo foi o escolhido para a função.
- O time está definido. Não quero mexer na estrutura da equipe e entra Ronaldo. Ele assume com a mesma função de Mancha.
A opção por Ronaldo não chega a ser uma novidade para o técnico Eduardo Baptista. Contra o Atlético-MG, há duas rodadas, o treinador o escalou para o lugar de Rithely, suspenso, e ficou satisfeito com a participação do volante, tido como um dos destaques na vitória do Rubro-negro por 2 a 1.
Jogando a pressão da vitória para o adversário, o técnico Eduardo Baptista disse que a obrigação da vitória é do Flamengo. Mas afirmou que o Leão não se intimidará no Maracanã.
- Também acho que o Flamengo tem a obrigação de vencer em casa. Assim como o Sport tem a obrigação de ganhar na Ilha. Precisamos ir lá e jogar para conquistar um ponto ou uma vitória. É importante pontuar.

Fonte: GloboEsporte.com

sport tri copane

O volante rubro-negro Ronaldo de 19 anos, sagrou-se mais uma vez campeão. Foram dois títulos importantes em menos de 15 dias. Um da Copa do Nordeste e outro do estadual em 2014. Muita estrela para um jovem atleta que já trilha o caminho do sucesso.

sport tricampeao copane

FORTALEZA - Nove de abril de 2014. Pode guardar essa data, torcedor do Sport. Guardar com carinho, desde já com saudosismo. Junte a 1994 e a 2000. Está eternizado na história do clube: o Leão é tricampeão da Copa do Nordeste. E de um jeito inesquecível. Frente a um adversário que valorizou o peso da taça. Diante de uma Arena Castelão que esteve em ebulição na noite desta quarta-feira. A torcida do Ceará lotou o estádio, fez barulho e deu todo o brilho necessário, digno de decisão. Fanáticos que foram à loucura quando Magno Alves abriu o placar no fim do primeiro tempo. Mas que silenciaram quando Neto Baiano empatou no início da etapa seguinte. O gol (e tinha que ser o do artilheiro rubro-negro!) seria, sim, o do título.

Como vencera o jogo de ida por 2 a 0, o Ceará, então, precisaria fazer 4 a 1 para reverter o quadro. Tinha 40 minutos de jogo pela frente sob os gritos de "Eu acredito!" dos torcedores. Não daria. O Sport agigantou-se. A melhor defesa da competição fez valer jus à fama. Nada mais passaria pela muralha Magrão. O título era do Sport. Aos 26 minutos do segundo tempo, a torcida leonina timidamente já começada a gritar: "É campeão!", logo em seguida lembrou-se: "Tricampeão!", corrigiu-se para não mais parar de gritar.

Fonte: SuperEsportes

caca-rato-theguardian3

No futebol, o nome é Flávio Caça-Rato. Não há porque negar o apelido. O atacante gosta, a torcida o idolatra, a repercussão na imprensa só aumenta…

Durante um bom tempo, o Santa Cruz insistiu em chamá-lo de “Flávio Recife”. Claro, a ideia não pegou. Aos poucos, o clube cedeu e aceitou o apelido.

Folclórico sim, mas sem denegrir o Tricolor. Na verdade, tal alcunha vai levando o nome coral a distâncias surpreendentes. Ou um perfil de Caça-Rato publicado no tradicionalíssimo jornal britânico The Guardian não chama a atenção?

Flávio the Rat Catcher, na tradução do periódico, é descrito como o jogador que veio da pobreza, numa relação direta com a situação do país (veja aqui).

No embalo, as 60 mil pessoas no acesso tricolor à segundona são citadas como a mistura entre carisma, futebol e paixão, tendo foco em Rat Catcher.

Esta é a terceira vez que o Santa Cruz é citado no jornal londrino. Mérito do norte-irlandês James Armour Young, colaborador do newspaper, que morou alguns anos no Recife e passou a torcer do clube, além do Atlético Mineiro.

No primeiro texto assinado por ele, a pauta foi o lado cultural de torcer pelo time do povão. Em seguida, na estreia na quarta divisão em João Pessoa, com 16 mil tricolores no Almeidão, mesmo sob dilúvio, o deslocamento humano também foi lembrado em uma coluna esportiva.

Agora, uma reportagem para deixar claro que no mundo da bola Flávio é…

The Rat Catcher.

Leia a matéria completa em inglês.

Fonte: Diário de Pernambuco / The Guardian

Pagina 3 de 7

Mais que uma empresa de futebol, uma Família!

Momentos

Atletas